Google+ Followers

sábado, 14 de março de 2015

Maré deve subir 3,4 metros provocando cheia em 5 municípios do Amapá incluindo o Município de Santana

Maré deve subir 3,4 metros provocando cheia em 5 municípios do Amapá
A Defesa Civil Estadual divulgou na tarde desta sexta-feira, 13, um alerta informativo sobre possíveis cheias entre os dias 18 a 26 de março em cinco municípios amapaenses. O fenômeno pode se confirmar em virtude da ocorrência combinada do Equinócio das Águas, aliado à lua nova, que tem grande influência na maré, e a possível incidência de chuvas nos horários da preamar.
Segundo o secretário executivo da Defesa Civil Estadual, tenente-coronel Janary Picanço, informações técnicas repassadas pelo Núcleo de Hidrometeorologia do Instituto de Estudos e Pesquisas do Estado do Amapá (Iepa), alertam para um mês de março bastante chuvoso, com um total médio entre 300 a 450 mm de precipitação para todo o Estado. "A previsão de marés acima de 3,4 metros, que combinadas com chuvas e ventos fortes, podem provocar alagamentos em áreas consideradas de risco", explicou.
A possível enchente pode causar inundações em Vitória do Jarí, Laranjal do Jarí, Santana, Calçoene e Macapá. A Defesa Civil trabalha para alertar as comunidades ribeirinhas sobre os riscos de alagamentos. "Os moradores dessas regiões de risco devem adotar medidas preventivas, a fim deproteger bens móveis, criações de animais, estruturas de cais, pontes, passarelas e residências", ressaltou Picanço.
De acordo com o tenente-coronel, outra área que deve ter atenção especial é o Centro Comercial de Macapá, onde está localizado o canal da Avenida Mendonça Júnior, que comporta a água do rio Amazonas e recebe o escoamento das águas pluviais. "Estamos informando os donos de lojas do comércio para que tomem medidas preventivas, principalmente no período da madrugada, quando o pico da maré aliado a chuva pode causar a cheia", anunciou.
Durante esse período, a Defesa Civil contará com o apoio do Iepa para fazer o monitoramento e a coleta de dados científicos que possam embasar o poder público a tomar medidas preventivas nos casos de enchente. "Estaremos com equipes em pontos estratégicos para monitorar os casos de cheia e colher dados que, posteriormente, serão repassados aos órgãos competentes", falou.
Oceano
O coronel esclarece que alta na maré do oceano Atlântico é um fenômeno mundial que já vem acontecendo no decorrer dos anos, e é apenas um fator que pode causar enchentes. "Estamos na foz do Amazonas, vizinho ao Atlântico, então presenciamos o avanço do mar sobre as faixas litorâneas. Mas, existem fatores ainda mais consistentes que influenciam as cheias", disse.

Via: Diário do Amapá