Google+ Followers

terça-feira, 31 de março de 2015

Ministério do Trabalho e Emprego, através do Fundo de Amparo ao Trabalhador (FAT), vai investir mais de R$ 200 bilhões na economia



Resultado de imagem para economia brasileira atual
Foto: Bahia atual
 O ministro do Trabalho e Emprego, Manoel Dias, ao receber a medalha Plinio Afonso Farias Melo na tarde desta segunda-feira (30), no Conselho Federal dos Representantes Comerciais - CONFERE, valorizou a força da economia brasileira, que receberá do MTE, através do Fundo de Amparo ao Trabalhador (FAT), mais de R$ 200 bilhões em investimentos. Dias mostrou também confiança na capacidade de recuperação do mercado frente às crises mundiais.
Realizado na sede da categoria, no Centro do Rio, o evento foi aberto pelo presidente do CONFERE, Manoel Afonso Mendes, que lembrou de momentos marcantes da carreira de Manoel Dias, com destaque para sua atuação como auditor fiscal da Receita Federal, deputado estadual por Santa Catarina e militante político durante a Ditadura.
Ao receber a condecoração, Manoel Dias afirmou que "é uma satisfação ser homenageado por uma categoria tão importante para o país, pois representa a geração de milhares de empregos". Durante o debate com mais de 100 profissionais presentes, o ministro afirmou que a dificuldade econômica existente é momentânea, elogiou a estrutura do país e pontuou as conquistas sociais garantidas pelo governo Dilma.
"Hoje, o Brasil adquiriu uma força única, que nunca existiu. Conseguimos ter a competência para guiar a nossa economia com independência, sem precisar de fundos monetários. O mercado é dinâmico e passamos por um processo de ajustes. Esta situação não ocorre somente no Brasil, mas em todo o mundo. Temos que ser otimistas", analisou.
"Sendo coerente: a crise não é econômica, mas política. Isso ocorre em qualquer democracia. Vivemos nos últimos 12 anos um período de mudanças radicais, com a inclusão de 43 milhões na classe média, o que representou a mudança do panorama do mercado consumidor nacional", completou Dias, que estava acompanhado do superintendente regional Antonio Albuquerque e do Secretário de Relações do Trabalho adjunto, Carlos Arthur.
Sobre os investimentos federais, o ministro argumentou que o MTE vai disponibilizar, através do FAT, recursos que representarão uma importante fatia do estímulo proposto pelo Governo Federal para 2015.
"Só neste ano, o MTE incluirá 200 bilhões na economia, com verbas para a construção de unidades do Minha Casa, Minha Vida, por exemplo. Não é só otimismo, mas são projeções de recuperação baseadas em dados concretos", acrescentou.
Com relação ao mercado de trabalho, o ministro foi enfático: "A maior obrigação do governo é criar vagas de trabalho para a população. Isso está sendo realizado com eficiência. São 22 milhões de postos de trabalhos criados na última década e o aumento real do salário, com 70% de valorização", concluiu.