Google+ Followers

quinta-feira, 3 de abril de 2014

Hidrelétrica doe Santo Antonio do Jari havia sido notificada por irregularidades

 
Ascom/Governo Amapá
Fonte: G1 

Laranjal do Jari/AP - A empresa Cesbe S.A. Engenharia, responsável pela construção da barragem na hidrelétrica de Santo Antônio, em Laranjal do Jari, a 256 quilômetros de Macapá, recebeu 24 notificações por irregularidade nas condições de trabalho. 

As autuações foram aplicadas em janeiro pelo Ministério do Trabalho e Emprego (MTE), que afirma que a obra não possuía sistema de alarme no local da construção da hidrelétrica. A barragem rompeu no sábado (29) e deixou um morto e três funcionários desaparecidos.

A Cesbe S.A. Engenharia também é responsável pela construção da hidrelétrica do Caldeirão, em Ferreira Gomes, a 137 quilômetros de Macapá. Na referida obra, o Ministério do Trabalho aplicou sete notificações também relacionadas a falhas nas condições oferecidas aos funcionários. Procurada via email e telefone, a empresa prometeu se posicionar sobre as falhas, mas, até o fechamento desta matéria não houve resposta.

De acordo com a Superintendência do MTE no Amapá, três das irregularidades apontadas têm relação com o acidente ocorrido na barragem, como a "falta de análise de risco e avaliação dos fatores de exposição a riscos ambientas". A Cesbe disse que fortes chuvas causaram o acidente.

Equipes do Ministério do Trabalho voltarão a fiscalizar a obra entre os dias 22 de abril e 1º de maio para saber se foram corrigidas as irregularidades encontradas em janeiro.

"Vamos verificar se as notificações foram sanadas. Caso não tenha ocorrido isso, iremos tomar as medidas cabíveis. É quase que prevista a interdição da obra devido o grande risco oferecido aos funcionários", disse a superintende do Ministério do Trabalho no Amapá, Joelma Santos.

Outra irregularidade encontrada foi a falta de criação da Comissão Interna de Prevenção de Acidentes (Cipa), que tem finalidade de prevenir acidentes decorrentes do trabalho, conforme relatório do MTE.

O chefe de fiscalização do Ministério do Trabalho Ediraldo Homobono informou que a tragédia não seria tão grande se houvesse a correção das falhas na primeira fiscalização.

"No risco de rompimento dessa barragem, deveria ter um sistema de alarme eficiente para avisar aos trabalhadores sobre o rompimento. Soubemos que esse comunicado foi realizado via rádio. Também faltou o monitoramento da subida do rio na área", explicou Homobono, acrescentando que as falhas seriam corrigidas se tivesse sido implantado na obra o Programa de Condições e Meio Ambiente de Trabalho na Indústria da Construção Civil (PCMAT).

Acidente
O acidente na hidrelétrica de Santo Antonio foi provocado, segundo os bombeiros, pelo rompimento da braçadeira, estrutura que sustenta a barragem. Ela seria antiga e teria sido utilizada para realizar o desvio do rio Jari, segundo o tenente-coronel Paulo Quaresma.

A empresa Cesbe informou em nota que houve alagamento de uma área por causa do nível da cheia do rio Jari. "Devido aos níveis de cheias excepcionais, houve o alagamento da área confinada da Casa de Força, o que surpreendeu alguns funcionários que estavam no local".

Seis mergulhadores dos bombeiros trabalham desde sábado na busca pelos desaparecidos. Um trabalhador da empresa foi encontrado na segunda-feira (31). Ele foi identificado como Tancredo Coelho de Souza, tinha 29 anos e era natural do Maranhão. Os outros três ainda não foram encontrados.


Via: Revista Proteção