Google+ Followers

sexta-feira, 2 de maio de 2014

Força Nacional de Segurança atuará em resgate dos corpos de desaparecidos no acidente da Hidrelétrica de Santo Antônio do Jari

Politica 4 - Ministro
O Diário Oficial da União publicou, na segunda, 28, a Portaria 786, do Ministério da Justiça, que autoriza o emprego da Força Nacional de Segurança Pública (FNSP) no resgate dos corpos dos trabalhadores desaparecidos no acidente da Hidrelétrica de Santo Antônio do Jari. A Portaria assinada pelo ministro da justiça José Eduardo Cardozo (foto), em 25 de abril, responde à solicitação oficial do governador Camilo Capiberibe e aos apelos da deputada Janete e do senador João Capiberibe.
O emprego da Força Nacional para buscar os desaparecidos se dará por 15 dias, a contar da publicação da Portaria, e terá apoio logístico e supervisão dos órgãos de segurança pública e defesa civil e defesa civil do estado do Amapá, que também custeará as despesas da operação, conforme convênio firmado com o Ministério da Justiça.
A Hidrelétrica Santo Antônio é obra do Ministério das Minas e Energia, com as licenças expedidas em nível federal, e é tocada pelas empresas EDP – Energias do Brasil, S.A. e Cesbe S.A. Engenharia e Empreendimentos.
Dia 29 de março, uma barragem provisória, chamada ensecadeira, rompeu-se. Quatro trabalhadores desapareceram. O corpo de Tancredo Coelho de Souza, do Maranhão, foi encontrado pelo Corpo de Bombeiros do Amapá. Ainda falta localizar os corpos de Altenizio Tavares Cardoso e Antônio Marques Filho, de Brasília, e Uverlando de Souza Lima, do Piauí.
Imediatamente após o acidente, o go-vernador Camilo deslocou-se a Laranjal do Jari para determinar providências imediatas, apesar de a obra ser federal. Em Brasília, a deputada Janete foi procurada por familiares dos trabalhadores desaparecidos. Em discurso no Plenário da Câmara, ela cobrou medidas de busca e assistenciais do governo federal. O presidente da sessão determinou que a Câmara comunicasse o apelo da deputada Janete ao mi-nistro Edson Lobão, das Minas e Energia.
Fonte: Diário do Amapá